+55 11 5643-0611

5 dicas para escolher o melhor LMS para seu projeto

15/11/2018

Escolher qual o melhor LMS é um grande desafio para os gestores envolvidos nos projetos de treinamento. Um bom LMS traz inúmeros benefícios para a operação e a gestão do treinamento – esta ferramenta consegue combinar o aprendizado em uma única plataforma, permitindo que os alunos acessem o conteúdo de qualquer lugar, a qualquer hora. O LMS também pode ser utilizado como uma ferramenta de gestão e de acompanhamento do desempenho não apenas dos alunos, mas do treinamento como um todo, fornecendo relatórios e ferramentas para avaliação e feedback. Este processo unificado e simplificado é fundamental para o sucesso de um projeto de treinamento, mas reconhecer qual o melhor LMS para atender às expectativas de gestão não é tão simples…

Antes de tomar qualquer decisão o time envolvido no projeto deve realizar uma pesquisa ampla e profunda no mercado, buscando entender quais são os diferencias e as ferramentas oferecidas pelos diversos players – o mercado está cheio de opções, mas apenas pouquíssimos sistemas realmente serão adequados às necessidades reais do projeto e estarão aptos a entregar os resultados esperados.

Pensando neste desafio separamos algumas dicas para ajudar a trilhar este caminho. Vamos conferir?

 

Determine os recursos de administração e gestão necessários

É importante que o time de gestores responsável pela contratação do LMS saiba exatamente quais ferramentas de administração e gestão são oferecidas pelo sistema e que determine corretamente os relatórios necessários para a completa análise dos dados fornecidos pelo LMS, inclusive mantendo a opção pela criação de relatórios customizáveis a qualquer momento.

 

Exija flexibilidade

O LMS oferece inúmeras opções de customização e atualizações, mas não limite seu projeto a um conjunto pré-determinado delas. Ao longo da execução do projeto, novos desafios surgirão, exigindo respostas rápidas – é fundamental ter espaço, junto ao fornecedor do LMS, para realizar alterações on demand além do que eventualmente conste nas propostas iniciais.

 

Considere todas as questões técnicas

É vital conhecer bem os detalhes técnicos da operação. São muitas perguntas a serem feitas… Como será feita a implementação do LMS? Como as informações serão acessadas, tanto pelos gestores quanto pelos alunos? É preciso estabelecer uma interface para acesso mobile? Redes sociais? O LMS será integrado a outros softwares dentro da estrutura da empresa? Como será esta integração? Envolva o time de TI profundamente no processo para evitar descobrir, depois do LMS contratado, que aquele relatório ou aquela interface tão aguardada só será viável depois de meses de esforços e investimentos adicionais ao pacote contratado.

 

Não invista em features desnecessárias

Um LMS extremamente complexo pode atrapalhar seriamente o desempenho do projeto, além de acarretar custos desnecessários não apenas na contratação do sistema, mas em toda a cadeia de TI, pois significa criar uma demanda maior por hardware e softwares para conseguir manter o sistema “em pé”. Um excedente de recursos também pode impactar negativamente os alunos, que podem se distrair de seus objetivos de aprendizado por culpa da falta de foco do próprio sistema.

 

Atenção ao suporte ao cliente

Muitas vezes o LMS é vendido como a solução final para todos os problemas, mas não se iluda, haverá necessidade de suporte. Analisar detalhadamente como se dá o suporte ao cliente (datas, horários, prazos de resposta e solução, etc.) é essencial ao longo da vida útil do sistema e do projeto – analisar a qualidade deste serviço é dever dos gestores no momento da tomada de decisões.

 

O próprio processo de escolha de um LMS também é um processo de aprendizado – os gestores precisam estar abertos a aprender para então conseguir estabelecer com confiança o melhor sistema para atender às suas necessidades, garantindo assim uma experiência única de aprendizado aos seus alunos.